Ex-fumante sim!



Conte conosco para valorizar a sua saúde e  viver com mais qualidade. www.ohb-rio.med.br


Nada melhor do que a VIVÊNCIA





Gostaria em primeiro lugar de compartilhar com você, que este  tema, corresponde a minha própria experiência: Ex fumante sim!!!! Posso falar com todas as letras, inspiradas e expiradas: parar de fumar não é fácil, mas   mesmo assim consegui. Acreditem, comecei a fumar com 11 anos de idade!!! Estrategicamente escondia o meu maço de cigarro (Hollywood ou Minister) dentro de uma caixa de sapatos que continha uma coleção de vários outros maços vazios de diferentes marcas. Fui crescendo e continuei fumando. Quando adulta fumava apenas uma marca: Chanceler, o fino que satisfaz. Slogan da propaganda que utilizava um bonito galã, bastante magro chamado Pedrinho Aguinaga.


Alguém se lembra? Bons tempos, apesar do péssimo hábito, ou melhor, vício. Cheguei a fumar um maço e meio de cigarros por dia. Acendia um cigarro no outro. Juro que fazia isso. Ah! Não preciso jurar! Eu gostava de fumar! Apesar da despesa diária continuava engolindo fumaça. Inacreditável! "Eu gostava!" Até que um dia... um belo dia,  descobri um câncer no colo do útero e foi nos dias que sucederam o meu repouso, no pós operatório, que decidi parar de vez. Admito que nos dois primeiros meses, a falta quase me sufocava. Percebe a incongruência? Sufocada estaria se continuasse fumando. Contava os dias e buscava, quando possível, estar próxima de outros fumantes para inspirar muito discretamente o cheiro da fumaça. Mas... a minha vontade de resgatar a saúde e ser ex fumante preponderou! Passados 13 anos, digo e reafirmo que é possível parar de fumar. Continuei degustando meus vinhos, minhas cervejas, hoje as artesanais, sem nenhum trago no cigarro. Sinto que parei de dentro para fora. Foi assim, houve uma mudança interna que me favoreceu. Um fato muito importante: tive uma grande companheira o tempo todo  ao meu lado,  minha filha,  na época com 17 anos e que  também decidiu parar. Paramos juntas!!! Mais um valoroso referencial. Para resumir e darmos início aos trabalhos, no terceiro mês a ânsia quase desesperadora havia diminuído e meu entusiasmo só aumentando. Só agradeço!  
Sempre que leio ou pesquiso sobre o tema tabagismo, encontro detalhes os quais me identifico. Eu vivi muitos deles!!! E afirmo que a VONTADE é primordial. Como o nível de dependência química varia de organismo para organismo importante buscar ajuda de um profissional. Vai fundo, você consegue!



A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que o número de fumantes no mundo seja de cerca de 1,1 bilhão de pessoas.


E, no último século, o tabaco foi o responsável pela morte de 100 milhões de pessoas. No Brasil, estudo sobre impacto econômico do tabagismo no SUS, revelou que em 2011 foram gastos R$ 23 bilhões com o tratamento de algumas das mais de 50 doenças tabaco-relacionadas. Por outro lado, a arrecadação com impostos sobre cigarros, naquele ano, foi da ordem de R$ 6 bilhões. Mas o custo do tabagismo no Brasil avaliado pela pesquisa ainda está subestimado: não incluiu o custo gerado pelo absenteísmo, perda de produtividade, despesas das famílias dentre outros gastos indiretos relacionados ao tabaco.


O tabagismo causa dependência primeiramente devido a nicotina, a substância psicoativa presente na fumaça do cigarro. Além da dependência física causada pela nicotina ainda temos a dependência comportamental que se caracteriza pela rotina associada ao uso do tabaco criada pelo fumante. Sabe-se que os receptores específicos para a nicotina no cérebro, quando ativados, liberam substâncias que garantem sensação de prazer.
Um "Fake" que te destrói






É por isso que um cigarrinho já basta para amenizar sintomas de ansiedade e depressão. Na busca por essa sensação de bem-estar, a pessoa passa a acender um cigarro atrás do outro, condicionando-se. Nos viciados, deixar de fumar por algumas horas dá uma sensação terrível e um desejo incontrolável de tragar - é a síndrome da abstinência. Ao ser inalada a nicotina se liga aos receptores nicotínicos cerebrais localizados na região chamada de sistema de recompensa cerebral (SRC) que são ativados liberando a dopamina, neurotransmissor que causa sensações de prazer, satisfação, melhora da atenção, aprendizado, memória. Estes receptores são chamados alfa4beta2.




O que você ganha parando de fumar




A pessoa que fuma fica dependente da nicotina. Considerada uma droga bastante poderosa, a nicotina atua no sistema nervoso central como a cocaína, com uma diferença: chega ao cérebro em apenas 7 segundos - 2 a 4 segundos mais rápido que a cocaína. É normal, portanto, que, ao parar de fumar, os primeiros dias sem cigarros sejam os mais difíceis, porém as dificuldades serão menores a cada dia.

Abstinência de nicotina é real: Encare! Peça ajuda profissional
Quando as pessoas usam o tabaco de forma regular, desenvolve-se uma necessidade por nicotina. Se não "ingerirem" a nicotina podem apresentar os sintomas de abstinência. Esses sintomas variam de pessoa para pessoa e dependem do quanto de nicotina a pessoa está acostumada a ingerir. Quanto maior a quantidade, mais fortes são os sintomas: 
Cansaço, irritação, nervosismo, ansiedade, tristeza ou depressão, fome maior do que usual, tremores, insônia, dificuldade em  lidar com o estresse e falta de concentração.

Não tenha medo... os sintomas da síndrome de abstinência são passageiros!
Sugestões:
Sentindo vontade de fumar, tenha em mente que  "a fissura" não dura mais que cinco minutos. Nesses momentos, para ajudar, você poderá escovar os dentes, beber água gelada, chupar gelo ou comer uma fruta.
Mantenha as mãos ocupadas, escreva as sensações do momento, rabisque alguma coisa ou manuseie objetos pequenos. Não fique parado,  converse com um amigo, faça algo diferente que distraia sua atenção.
O Exercício de relaxamento é um recurso saudável e eficaz para ultrapassar esta fase. Faça a respiração profunda: respire fundo pelo nariz e vá contando até 4. Depois deixe o ar sair lentamente pela boca até esvaziar totalmente os pulmões. Repita esta técnica por várias vezes e sempre que desejar uma alívio do mal estar. Faça um  alongamento  corporal, ajuda a relaxar os músculos diminuindo a tensão e consequentemente a vontade de fumar. 
Ainda existem muitas informações úteis nos sites apresentados a seguir. Pensando apenas neste  começo corajoso para  resgatar a  saúde, já podemos acreditar na sua determinação e iniciativa em buscar mais e o melhor para si mesmo. Estamos juntos! 

Fontes:
www.tabagismo.hu.usp.br
www.inca.gov.br/tabagismo
www.minhavida.com.br/saude/temas/tabagismo
Lembre-se: "Saúde em primeiro lugar sempre."
Estou torcendo por você.
Valéria Costa












Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pânico e Mergulho.

Cirurgia Plástica e Medicina Hiperbárica